Histórias de Vida

Conte para nós


Histórias de vida é um espaço para mostrar a vida, o aprendizado e a mudança. Queremos que a sua história motive outras mulheres a lutar, sorrir, e não desistir. Conte sobre uma vitória, um projeto aprovado, um amor realizado, enfim, algo que marcou a sua história! Se quiser envie sua foto, ficamos felizes com a sua participação!

Sei que tudo vai dar certo!

Olá! Meu nome é Simone, tenho 34 anos. Sou casada há 12 anos e tenho 2 filhos, um casal.

No começo do meu casamento perdi um bebê, quando estava grávida de 7 meses. Foi terrível! Mas não bastava isso, também era muito humilhada pela família do meu marido. Já ele, aparentava um homem apaixonado, sempre gentil, sempre fazendo de tudo pra mim. Até que descobri que ele havia me traído no dia que a gente começou a namorar. Isso mesmo! Me deixou em casa e passou a noite com a prima dele... Depois descobri que me traiu com a ex.

Aí começou a desconfiança... Resolvi esquecer. Passou algum tempo, fiquei grávida de novo. Minha filha nasceu e eu estava muito feliz! Mas aí descobri mais uma traição... E o tempo foi passando e mais outras traições. Tivemos outro filho e nada mudou! Eu sempre queria fazer um curso, para arrumar um emprego melhor, mas parecia que ele só pensava nele.

Apesar das mentiras, eu sempre apoiava ele em tudo! Sempre estava ali do lado dele, em todos os momentos. Eu não entedia... Sempre fui uma boa esposa, uma boa mãe! Sempre respeitei ele! Ele cuidava de mim, dos filhos, mas sempre mentia! Tanto cinismo!

Bom, me cansei! O ano passado, em 2013, após mais uma traição, nos separamos! Em 24 horas ele me implorou para voltar... N...

(Continue lendo...)

Espero viver isso de novo.

Oi! Tudo bem?

Minha história é meio confusa, alegre e triste...

Bem, há um mês eu estava em uma tristeza sem fim, depois de vinte anos de casamento, meu marido me pediu o divórcio. Claro que não foi de uma hora pra outra, estamos há um ano separados, mas eu lutava pra que nos reconciliássemos, mas ele me pediu o divórcio. Chorei muito. Em meio aos prantos, ficava no 
Facebook. De repente, li um nome conhecido. Não acreditei! Seria a mesma pessoa que eu não via há vinte e três anos? Não me contive, entrei e perguntei! Ele respondeu-me que era ele mesmo. Na hora fiquei muito alegre.

Começamos a conversar. Ele me disse que tinha casado, que tinha já se separado e eu lhe contei minha história. Ele também disse que eu lhe fiz sofrer quando não aceitei me casar com ele e que nunca tinha me esquecido, que me amou muito! Meu coração gelou, pois estava eu justamente chorando por amor. Pedi perdão, ele disse que eu estava perdoada, pois agora estava bem, conhecera alguém que ele passou a amar. Eu perguntei quem, ele mandou a foto de sua atual namorada, disse que a amava.

Bem, fiquei feliz, mas com aquele pensamento na cabeça "será que aquele homem podia ter me feito feliz"? Continuamos a conversa por vários dias, eu já não chorava mais, me...

(Continue lendo...)

Eu não tô gostando disso profundamente, não sei o que fazer...

Bem pessoal, estou me sentindo feliz por ter encontrado esse site e assim poder falar de um assunto que estou enfrentando sozinha... Vou tentar me fazer clara, resumida e gostaria que sentissem à vontade para deixarem suas opiniões.

A questão é que eu fui adotada e reencontrei minha mãe biológica pela segunda vez! Eu digo que a reencontrei pela segunda vez porque já tinha encontrado e conhecido ela pela primeira vez quando tinha quinze anos. Naquela época, com aquela idade, eu já sabia que era adotada e já estava ultra cansada, triste e deprimida com a vida que eu levava com minha familia adotiva. Não era "flores" a minha vida com eles. A pessoa que me pegou para criar faleceu quando eu tinha 5 anos, meu pai e mãe adotivos, então eu "sobrei" para os filhos desse casal cuidar (um irmão e uma irmã adotada também, só o irmão era de sangue da minha mãe adotiva).
 
Meu irmão passou a ser meu tutor oficial e sendo assim onde ele fosse eu tinha que ir, mas na prática eu ficava meio com ele e meio com minha irmã, quando um não me queria lá me mandava para a casa do outro. Vivendo com meu irmão, ele deixava a esposa dele fazer o que queria comigo. eu fui muito espancada com cabo de vassoura, xingada de p*, sendo que eu nem saia de casa, vivia presa, era...

(Continue lendo...)

Procurando melhorar as minhas condições físicas

Aos catorze anos fui expulsa de um colégio municipal, onde minha tia era diretora. Eu era uma adolescente rebelde. Perto da escola tinha um banco e convidaram os alunos para fazer um estágio e fui selecionada. A prova foi no mesmo período da praia e eu não queria voltar,  minha mãe me obrigou, e passei. Trabalhei 3 anos mas continuava rebelde, só ia trabalhar quando dava vontade.  O gerente do banco ligava para minha mãe avisando que eu não tinha ido e minha mãe ia atrás de mim, na época não tinha celular. Normalmente estava na casa das minhas amigas. 

Minha mãe não sabia, mas eu me arrumava e voltava dormir muitas vezes. Eu vivia pelas ruas e me convidaram para um concurso de beleza “Garota Saúde”, todos falavam que eu não tinha chance, era muito magra. Mas ganhei o concurso e não parei mais. Com catorze anos, desfilava por tudo, conquistando sempre o 1º lugar,  participei de 8 concursos neste período. Desfilava para lojas, fui capa de revista, recepcionista de eventos em feiras. Em um dos concursos ganhei uma viagem para outro estado. Tinha um compromisso com o banco no qual eu trabalhava e mantive o meu contrato.

Eu ficava nos postos de combustíveis com os amigos e conheci uma moça que era namorada do meu amigo, ela era muito maluca, pagava tudo. Na semana que a conheci n...

(Continue lendo...)

Final do ano eu caso!!!

Ah muito feliz por achar um site desse e me sentir a vontade por compartilhar um pouco a minha felicidade *o*...

Oi gente, eu tô muuito feliz, porém muito ansiosa e estressada... rsrs Esse ano vai se concretizar meu sonho desde que me entendo por gente. Há 5 anos atrás 
conheci o amor da minha vida e, sim, foi amor à primeira... Não sei se foi amor, mais foi algo bem parecido, paixão talvez...

Foi em uma empresa, no meu primeiro emprego, eu tinha 18 anos e ele 19. Me lembro que estava confusa e não tinha uma alma por perto para me ajudar e, de repente, eu percebo alguém me olhando. Ai eu olhei e ele me disse "- Quer ajuda moça?" e sorriu. Nossa, nossa que sorriso!!!! Me encantei! Era o sorriso mais lindo que já vi na minha vida e eu estava em um relacionamento tanto quanto problemático, não gostava tanto do rapaz e ele dizia ser minha alma gêmea.

Uma história, ele não me passava confiança, peguei algumas vezes ele mandando vídeos de amor para a ex, no mesmo dia que ia terminar com ele (relacionamento que não tinha nem 2 meses, rsrs), conheci meu atual noivo e mesmo ele só me oferecendo ajuda, nada mais, eu já estava apaixonada, fui para a casa flutuando. Chamei minha melhor amiga lá em casa e contei pra minha amiga "conheci o amor da minha vida e vou terminar com o tal ex...

(Continue lendo...)

Perdi minha Irmã

Dia 2 de maio fez 3 anos que perdi minha irmã.

Vamos voltar ao passado. Minha irmã teve pólipos e os retirou. O médico, pela idade, havia recomendado a retirada do útero. Mas ela preferiu não retirar já que não era uma doença. Apenas pólipos. Após algum tempo, não sei precisar quantos anos, mas lembro que foi em novembro de 2010, ela começou a ter um 
sangramento vaginal. Havia feito o preventivo e ultrasonografia onde foi recomendado um exame mais específico. O médico disse se tratar se um mioma e talvez o início de uma menopausa. Não pediu exames mais específicos. Não fez um CA125, não fez uma biópsia do útero. Avisou a minha irmã que seria necessário retirar o útero. Ela pediu se poderia esperar as férias escolares. O mesmo concordou.

No dia 2 de janeiro de 2011, ela começou a ter náuseas e precisei levá-la várias vezes à casa de saúde para tomar soro, pois estava muito fraca. Um médico que a  atendeu na emergência, examinou os olhos da minha irmã e pediu uma outra ultrasonografia. Bem, o médico não quis falar perto de minha mãe e disse que o médico que iria operar a minha irmã não sabia o que iria encontrar.

No dia seguinte fui ao consultó...

(Continue lendo...)

Preciso Admitir que Hoje Estou bem Melhor

Olá meninas do preciso falar. Já contei minha história para vocês, de vida, profissional, das decisões que precisei tomar para resolver questões de amor, entre outra coisas. Confesso que a minha vida ainda não está como eu gostaria, mas preciso admitir que hoje estou bem melhor.

Sofri muito por amor, deixei de pensar em mim, de fazer coisas que eu gostava, era insegura, indecisa. Não mudei da noite para o dia, precisei pedir muito a ajuda de Deus e dos amigos. Resolvi deixar em 2013 todas as minhas frustrações e viver em 2014 a vida que eu sempre pedi a Deus. Comecei o ano de férias, resolvi então fazer tudo o que eu gostava, ir ao teatro, museu, festival, tudo na companhia dos amigos que tenho, foi muito bom. Passei alguns dias na praia com pessoas que eu não via há anos, isso pra mim não teve preço. Sabe, passei muitos anos da minha vida vivendo de forma que eu não gostava, me submetendo aos caprichos do meu ex, hoje entendo que eu não deveria ter feito isso, na verdade nem foi culpa dele,  mas minha, de ter permitido que ele controlasse tanto a minha vida.

Acabei me  afastando de pessoas que eu gostava. Em fevereiro realizei um grande sonho. Sempre tive vontade de conhecer FERNANDO DE NORONHA, uma amiga me convidou para viajar com ela e com alguns amigos, resolvi topar, no dia  15 viajei para um dos...

(Continue lendo...)

Nunca vi História mais Complicada

Olá, gente. Vou tentar resumir minha história, pois preciso da ajuda de vocês!!!

Tenho 20 anos. Com 16 anos eu comecei a namorar um rapaz de 33 anos! Sei que vão se espantar, mas ele cresceu com meus tios, sempre morou na 
mesma rua que eu, então minha família não implicou. Ele tem uma história e tanto, já foi casado, passando 4 anos com a mesma, que traiu ele, e muito mais... Mas antes dela, ele já tinha tido vários relacionamentos os quais não foram legais.

Tudo começou a mudar, depois que me entreguei pra ele. Perdi minha virgindade com ele, tinha 17 anos e a gente fazia 1 ano de namoro. O que tinha me chamado atenção nele, foi o fato dele ser um bom filho, caseiro, não bebe, não é doido por futebol, enfim. Quando eu comecei a namorar com ele eu era muito imatura, e ele muitas das vezes não soube lidar com isso, e agia com ignorância, não tinha muita paciência comigo. Ele não conversava muito comigo, quando saia, não me contava como foi. Comecei  a sentir ciúmes, e a pegar muito no pé dele, e ele foi ficando cada vez mais arrogante, e realmente eu tava sendo chata. Então conversei com ele e disse que os dois tinha muita coisa pra mudar.

Eu mudei muuito, provei pra ele que o amava, aprendi a fazer comida, queria me casar com ele. Ele chegou a...

(Continue lendo...)

Um grande Amor e uma grande Surpresa!

Imagine encontrar o amor da sua vida, se apaixonar, viver belas histórias e, no dia do casamento, ter este amor homenageado com uma grande surpresa.

Tudo fica mais feliz quando encontramos algo que fecha redondinho com a gente, certo? Foi o que aconteceu com o Fernando e a Roberta, assista.

Esta ação da Ditália Móveis que surpreendeu o casal Fernando e Roberta, apresenta a nova campanha “Ditália – Fecha redondinho com você” e os novos produtos da linha Rio, que têm como principal característica os cantos curvos.
A Ditália oferece móveis para um consumidor exigente. Traduz de maneira acessível as tendências de design, se transformando na marca que “fecha redondinho com você”.

Foi emocionante coroar um grande amor com um presente especial como este da Ditália Móveis. Em breve, mais histórias de vida entre a marca e os consumidores serão contadas.

Quer conhecer a nova linha de produtos? Acesse www.ditalia.com.br e confira.

(editorial publicitário)

 

(Continue lendo...)

Esse Ano eu Caso!

Faz 2 anos e 7 meses que conheci meu amor e, desde então, começamos a planejar nosso futuro. Começamos a guardar dinheiro para poder construir uma casinha, comprar nossos móveis e finalmente nos casar.

Porém, não deu certo. Na época que conheci meu amor eu morava com a minha mãe e a relação não era muito bo,a  pois minha mãe fez coisas que eu não concordava. Fui morar com a minha sogra, pois a minha mãe não concordava com o meu relacionamento.

Com ele fiquei na casa dela durante 8 meses de tortura, minha sogra não gosta de mim. Depois de um tempo voltei para casa da minha mãe a fim de reatar a amizade entre "mãe e filha". E novamente não deu certo. Voltei para casa da minha "sogrinha". Estou a 1 mês de sofrimento. Na casa tem o marido dela, uma 
filha de 18 anos, um de 16 e o meu noivo. Detalhe: ninguém ajuda a fazer nada, sobra tudo pra mim.

Meu noivo está dando duro pra me tirar daqui casada com ele. Ele arrumou um serviço registrado de porteiro, ganha mais ou menos uns R$ 1.090,00 + extras e eu 
ainda não consegui um  emprego. Sofro aqui porque ela se acha muito e tudo quer saber na minha vida com o do filho dela.

Se Deus quiser, esse ano não vai passar, esse ano eu caso!

Carol Borges

(Continue lendo...)